terça-feira, dezembro 19, 2006

Feliz Natal e Boas Férias

Vamos esquecer um bocadinho a escola e o trabalho.....

quinta-feira, novembro 30, 2006

Rádio Escola

Pelo 2º ano consecutivo estou responsável pela dinamização da Rádio Escola, na EB2,3 de Alpendorada. Se no ano passado era porque tinha interesse nisso, este ano é por carolice e por gostar de fazer algo que anime o recinto escolar.
Este ano o espaço da rádio foi colocado no polivalente - em espaço projectado por mim e que a meu ver ficou porreiro. é um espaço em que há boas condições de trabalho, há um contacto entre ouvintes e locutores e ainda está num espaço previligeado para os alunos. Este ano há ainda melhores condições, já que a aparelhagem de som funciona bem melhor que no ano transacto.
Na semana passada começaram experimentalmente as emissões da Rádio, sendo esta dinamizada por grupos de alunos desta escola que foram seleccionados por mim. Pelo que tenho visto, acho que foram bem escolhidos e que estão a dinamizar condignamente o espaço.
Até já recebi elogios e eu próprio estou contente com o desempenho destes grupos, que têm mantido uma postura ordeira e empenhada.
No inicio do ano lectivo prometeram-me certas coisas que eu ingenuamente passei palavra a esses grupos. A promessa de um computador iria revolucionar o funcionamento da rádio e o mesmo foi prometido, mas hoje quando perguntei pelo dito cujo no executivo local, levei como resposta uma gargalhada e um silêncio que quer dizer muito.
Tenho muita pena, mas não irá haver computador para a rádio, tendo a mesma que funcionar como está actualmente.
No entanto estou convicto que mesmo assim as coisas correrão bem e que a experiência será enriquecedora para todos os intervenientes.
Quanto a mim, andarei sempre por perto de maneira a proporcionar as melhores condições possiveis de trabalho a esses grupos dinamizadores da rádio.

sexta-feira, novembro 17, 2006

Feira de S. Martinho

Após um adiamento devido á greve da função pública, realizou-se esta sexta-feira a Feira de S. Martinho na minha escola.
Devido á incerteza das condições climatéricas achou-se por bem que a feira fosse realizada dentro das salas de aulas. Isso tirou um pouco do brilho á feira (a meu ver) e um pouco de grandiosidade, já que as diferentes barracas estavam mais dispersas, a confusão foi muita e as condições por vezes não eram as melhores.
Este ano apoiei duas turmas - o 9º C e 0 9º D, ou seja foi na minha disciplina de Área de Projecto e Educação Tecnológica que se realizaram as respectivas barracas. Enquanto que no 9º C houve grande empenhamento e dedicação (até fiquei admirado!) no 9º D a coisa já não foi bem assim. Gostaria por esse facto de dar os parabéns ao 9º C pelo seu empenho e gostaria muito que a sua barraca fosse premiada, já que deu muito trabalho a realizar, tinha paineis muito bonitos e a própria estrutura da barraca não estava má. Mas como em tudo nunca é dado o valor do trabalho ali efectuado e ainda por cima a barraca ficou situada num sitio muito acanhado onde o seu esplendor não pode ser observado.
Em relação ás restantes barracas, vi coisas muito interessantes, vi alunos muito empenhados, dedicados á causa e penso que devem ser recompensados por todo este esforço e dedicação.
Em relação ao dinheiro angariado, foi muito - cerca de 3800 Euros.
Foi um dia em que a escola recebeu a comunidade e em que a multidão foi muita, a confusão também e em que a animação reinou - bombos, grupos de cantares, idosos, jardins de infância, outras escolas vieram ao nosso espaço mostrar-se e fazer a festa.
Pena é que alguns professores pouco puderam tirar proveito desta animação. Isto de ter muitas actividades e de ser professor de uma disciplina prática, faz de nós por vezes, o preto lá da zona.
Mas o que interessa é que tudo correu bem e para o ano há mais concerteza.
Bem hajam aos alunos, aos professores e á comunidade em geral. E já me esquecia aos funcionários também - que tem de limpar todo o lixo que ficou...
Ficam algumas fotos do acontecimento...



(Barracas do 9º D e 9º C respectivamente)









(panoramas da multidão na feira)

segunda-feira, novembro 06, 2006

Projecções Ortogonais

São um meio de representação gráfica que permitem uma análise detalhada de todas as partes de um objecto (de todas as vistas). Baseia-se na projecção ortogonal da peça em três planos perpendiculares:
· Plano Vertical (Alçado) – vista de frente
· Plano Horizontal (Planta) – vista de cima
· Plano Lateral (Perfil) – vista de lado

Representação em Perspectiva

Trata-se de uma técnica de representar os objectos nas suas três dimensões, na superfície plana, tal como são vistas. É uma representação gráfica, que pode não mostrar os tamanhos reais da peça, mas sim os seus aspectos aparentes.
Podemos dividir as perspectivas em quatro tipos:
1. Cavaleira;
2. Isométrica;
3. Dimétrica;
4. Cónica;

quinta-feira, novembro 02, 2006

Desenho Técnico

Representação gráfica rigorosa, baseando-se num conjunto de regras e normas, que tem como principal objectivo facilitar a leitura dos desenhos (elo de ligação entre o desenhador ou projectista e a pessoa ou pessoas que vão realizar o projecto).
Surge da necessidade de representar com rigor o espaço e os objectos. Para a execução do desenho existe uma grande variedade de materiais e instrumentos, alguns dos quais já em desuso, mas que deves conhecer e saber utilizar adequadamente.
É uma linguagem universal de representação e comunicação que tem como principal objectivos elaborar, guardar, transmitir e receber ideias e conceitos.
  • Equipamentos de Desenho

    Meios Informáticos específicos á área;
    Estirador;
    Máquina de desenhar;
    Régua, Esquadro, Transferidor, Compasso
    Lápis, caneta, borracha, apara-lápis;

  • Normas do Desenho Técnico (NP ou ISO)

    Facilitar a leitura de desenhos e projectos por pessoas de nacionalidades diferentes;
    Simplificar processos de produção;
    Unificar as características dos aparelhos, máquinas, instrumentos e objectos em geral;

    · Papel (tipos, gramagem, formatos normalizados);
    · Tipos de Linha (tipo e espessura);
    · Legendas, Letras e Algarismos;
    · Escalas (natural (1/1), ampliação (2/1), redução (1/2))
    · Cotagem – informações escritas no desenho e representadas por linhas, setas, símbolos, valores (cotas);

  • Aplicações do Desenho Técnico

    Desenho Topográfico
    Desenho de Sondagens e Cartas, plantas ou cortes geológicos;
    Desenho Arqueológico
    Desenho de Electrotecnia, Mecânica, Civil, Arquitectura, etc.

terça-feira, outubro 31, 2006

Outros Meios de Representação Gráfica

Ficam exemplos:

COMUNICAÇÃO

O ser humano sempre teve necessidade de comunicar e comunica constantemente sob as mais diferentes formas e maneiras.

Os Meios de Transmissão podem variar, mas dividem-se em três grandes grupos:

  1. Visuais - Jornais, cartas, livros, revistas, gestos, etc.
  2. Orais - diálogo, telefone, telemóvel, rádio, etc.
  3. Audiovisuais - Televisão, cinema, Internet, telemóvel 3G, etc.

Temos ainda Diferentes Formas ou maneiras de Comunicar, como por exemplo:

  1. Linguagem Gestual;
  2. Linguagem Braille;
  3. Documentos Escritos Oficiais;
  4. Meios de Representação Gráfica (Esboço, Desenho Técnico, Representação em Perspectiva, Projecções Ortogonais)
  5. Outros Meios de Representação Gráfica (gráficos, fluxogramas, organogramas, etc)
  6. Mapas, Plantas;
  7. Fotografia;
  8. Multimédia;
  9. Etc;

Ficam alguns exemplos:

domingo, outubro 15, 2006

Cibercopianço

Copiam trabalhos inteiros da internet, porque «a tentação é demasiado grande» e até conseguem boas notas em poucos minutos. Professores dizem que o problema é o excesso de informação.

Utilizar a internet para pesquisar informações para trabalhos escolares e académicos é prática habitual nos estudantes portugueses e até é incentivada pelos professores. O problema começa quando os alunos passam o limite da pesquisa e copiam trabalhos inteiros.
Segundo a agência Reuters, 37 por cento dos universitários norte-americanos admite ter copiado partes de trabalhos da internet e 77 por cento dos alunos considera que isso não é um assunto sério.
Por cá, a realidade não é diferente e o plágio começa logo nos estudantes mais novos. Anabela tem 19 e já frequenta a universidade, mas admite que terminou o secundário «sem nunca ter lido Os Maias», apesar de a obra ser de leitura obrigatória. O motivo foi mesmo «preguiça». «O livro tem tantas páginas que não dá vontade de ler», conta a estudante.
Anabela explicou ao PortugalDiário que começou por ler «o resumo da obra na internet», depois, quando o professor pediu à turma um trabalho de análise da obra, recorreu novamente às novas tecnologias. Durante a pesquisa «tropecei num fórum onde os alunos disponibilizavam os trabalhos escolares e havia lá um trabalho sobre Os Maias», contou a jovem que admitiu que «a tentação foi grande demais».
Anabela, que vive no Porto, acabou por entregar um trabalho realizado por um aluno do Algarve e até ficou contente com a nota. «Tive 13 e só demorei 10 minutos a fazer a pesquisa e o download. E o professor nunca soube que não fui eu a fazer», admitiu, ligeiramente envergonhada.
«Nem imaginam quantos sites há sobre os sonetos de Camões»
Patrícia tem 15 anos e passa várias horas por dia online. «Quando chego da escola, ligo-me logo (à internet), para falar com os amigos», contou. E os trabalhos de casa? Esses são feitos ao mesmo tempo, muitos até com recurso à internet.
Garante que nunca copiou um trabalho inteiro, mas admite que copia parágrafos inteiros. Quando se trata de «trabalhos de História, Geografia, ou disciplinas assim», considera que não se trata de copiar e diz que é «pesquisa», mesmo quando copia «partes grandes» do trabalho.
A estudante só admite fazer «batota» quando se trata de textos de análise. E dá um exemplo: «A minha professora de português pediu para identificarmos as figuras de estilo de um soneto de Camões. Fui à internet e estava o poema com as figuras de estilo todas. Depois de encontrar, não ia fechar o site», disse Patrícia. «Nem imaginam quantos sites há sobre os sonetos de Camões. É quase impossível não encontrar», afirmou, em jeito de justificação.
Não há uma exigência excessiva
Para o presidente da Associação de Professores de Português (APP), Paulo Feytor Pinto, o problema dos trabalhos copiados já não é novidade. «Agora é a internet, mas dantes eram as sebentas», explicou ao PortugalDiário.
O responsável até compreende que copiar trabalhos de português seja uma tentação muito grande já que «há muita informação disponível sobre as obras de leitura obrigatória».
Paulo Feytor Pinto não considera que seja a elevada exigência dos programas o que leva os alunos a copiar. «Talvez por estarem tão habituados a serem obrigados a memorizar, não sejam capazes de analisar um texto, mas não há uma exigência excessiva», afirmou.
O professor considera que uma forma de resolver este problema seria «dar liberdades às escolas na escolha nas obras a leccionar». Mas a questão também se prende com o facto de estes trabalhos serem realizados em casa, «assim, o professor não vê se é realmente o aluno quem o faz».
E, segundo o responsável da APP, os alunos não se limitam a copiar os trabalhos, chegando mesmo a decorar textos inteiros, que depois reproduzem nos exames.
in Portugal Diário

No meu caso em particular, tenho a dizer que nos tempos de faculdade utilizei e muito a internet para a elaboração de trabalhos teóricos, mas limitava-me a buscar informação de diferentes sites creditados e c om essa informação fazer um trabalho com um seguimento lógico e coerente e com informação verdadeira, que tinha o cuidado de comprovar. Em ralação aos dias de hoje e como sou professor, recebo contantemente trabalhos que são plagiados da net e outros que são imprimidos directamente dos sites, não havendo sequer o trabalho de formatar o texto, nem retirar informação irrelavante. Esses trabalhos para mim é como se não valessem nada... E não é fácil enganar-me, já que estou a par de todas as tramoias existentes para fintar o esquema.


sexta-feira, outubro 13, 2006

Rádio Escolar

Tanto interesse, tanta admiração, tanto querer por parte de enumeros alunos e quando se lhes pedem para apresentarem propostas para aderir a esta iniciativa - Clube Rádio Escola, parece que tudo se desvanece.
É claro que só se passaram quatro dias desde o aviso á comunidade escolar desta iniciativa...
É claro que quase ninguém me conhece nesta escola...
É claro que não é fácil lidar comigo...
É claro que é mais fácil ver que fazer....
Mas aprecem-se e não deixem passar este evento ao vosso lado. Agarrem esta oportunidade de fazer algo na vossa escola, de participar nesta iniciativa, de se mostrarem e de serem vistos, de animar o recinto escolar - em suma de melhorar o vosso espaço escolar...
Estou esperando por candidaturas.
O impresso de inscrição está na reprografia: quem não o souber ler que peça a alguém que saiba, quem não souber escrever, que peça a alguém que o saiba, quem não souber fazer, não desespere, será ensinado e orientado por mim, quem não tiver vontade, que não adira, mas depois não critique o trabalho dos outros colegas, nem mande bocas...
Fica um conselho de amigo. Se fosse a vocês participava. Vão surgir novidades na Rádio que vos vão certamente interessar...

quinta-feira, setembro 28, 2006

DEAR ROBOT 2007


A Associação Nacional de Professores de Electrotecnia e Electrónica está a estabelecer parcerias com escolas básicas, secundárias e profissionais com vista à realização conjunta do projecto DEAR ROBOT 2007– Dinâmica Experimental na Aprendizagem pela Robótica.
O objectivo deste projecto é a promoção da Tecnologia e da Ciência junto dos jovens através da experimentação, por parte destes, de um processo de concepção e realização de um pequeno robô.
A concretização do projecto passa pela construção em cada escola parceira de um pequeno robô móvel com as características necessárias para participar na prova de Busca e Salvamento do Festival Nacional de Robótica – Robótica 2007, cuja realização está prevista para o final do mês de Abril de 2007 em Albufeira. Este projecto é adequado a alunos do 3.º ciclo do ensino básico por não requerer grandes conhecimentos de Mecânica, de Electrónica, ou de Informática. O robô deve ser capaz de realizar pequenas tarefas tais como seguir um trilho desenhado no pavimento, contornar obstáculos, subir e descer rampas e detectar e sinalizar cores.
Para mais informações podem consultar o site da ANPEE - Associação Nacional de Professores de Electrotecnia e Electrónica.

Um projecto de que tomei hoje conhecimento e que me despertou grande interesse e que me deixa tentado a participar, englobando uma das turmas do 9º ano neste projecto. Estimulante de facto para alunos e professor, mas que requer muito trabalho da parte de ambos e muito empenhamento. Ainda é um caso a pensar cuidadosamente e se não for este ano em principio para o ano será um projecto a possivelmente se integrar nos planos da disciplina de Educação Tecnológica. A ver vamos...

quarta-feira, setembro 20, 2006

Visitas de Estudo

Cada vez mais os professores evitam a realização de visitas de estudo e a dinamização de actividades em prole dos seus alunos. Talvez pela falta de motivação existente e pelo constante ataque do Governo, talvez por medo, talvez por falta de tempo...sei lá. O facto é que a titulo pessoal ainda não perdi o gosto pela realização de actividades extra-curriculares em prole dos meus alunos. Neste sentido venho por este meio questionar colegas e alunos sobre locais que gostariam de visitar numa visita de estudo, ou questionar acerca de locais que já tenham visitado e que recomendem como uma boa experiência...
Este ano não prometi visitas de estudos, mas quero fazê-las...

segunda-feira, setembro 18, 2006

Tecnologia e Sociedade

Caros alunos, para quem quiser ir com mais umas luzes para as próximas aulas de ET aconselho a leitura do texto que se segue.
...
...
A Natureza e a Ciência
Sempre, em todos os tempos, existiram pessoas interessadas em observar a Natureza. Não nos referimos às pessoas que olham a Natureza porque há nela flores, aves de penas coloridas, penedias soberbas de grandes alturas e ribeiros alegres que saltam entre seixos. Referimo-nos às pessoas que observam a Natureza com o desejo de saber o motivo por que certas coisas acontecem.
Por exemplo: porque é que chove? De onde vem a água da chuva? Porque é que, para alguém que está voltado para o Norte, o sol nasce sempre à direita e se põe sempre à esquerda? Por onde é que anda o Sol durante a noite? E porque é que há noites? E os relâmpagos, o que são? Porque é que os relâmpagos são acompanhados de trovões, que fazem tanto barulho? E porque é que o trovão se ouve, às vezes, quase ao mesmo tempo que se vê o relâmpago e, outras vezes, só passado algum tempo?
Há pessoas que fazem perguntas destas sem se importarem muito com as respostas, mas há outras que não sossegam enquanto não encontram respostas que os satisfaçam.
Assim em todos os tempos existiram homens que observaram a Natureza e que, a pouco e pouco, deram respostas às suas interrogações. O que então foram descobrindo comunicaram aos filhos, e os filhos aos netos, e os netos aos bisnetos, oralmente ou por escrito, e assim pelos tempos fora. Cada nova geração de homens que aparece no Mundo tem à sua disposição tudo quanto os homens antes deles pensaram e descobriram. Os novos podem até repensar o que os seus antepassados já tinham pensado e achar que estavam erradas as suas respostas. Então procurarão dar respostas melhores, e assim sucessivamente.
O conjunto de conhecimentos que os homens possuem em determinadas épocas constitui a ciência dessa época.
...
...
...
A Ciência e a Técnica
A vida dos primeiros homens na Terra foi muito dificil e até custa a compreender como sobreviveram a tantos perigos. Toda a Natureza se apresentava como sua inimiga: o sol que queimava, a neve que enregelava, os ventos que derrubavam, as trovoadas que metiam medo, os raios que incendiavam, as chuvas que inundavam, os animais que atacavam. A tudo os homens resistiram, inventando as suas primeiras defesas: os abrigos, trajes, os machados, as flechas; inventando construções que lhes facilitaram a vida: os carros de rodas, as pirogas e as canoas, os moinhos de vento, as azenhas dos cursos de água. Inventar as rodas dos carros ou as velas dos moinhos exigiu a meditação de muitas gerações de homens que para isso, teriam observado atentamente e realizado grande número de experiências; sºao duas das mais notáveis descobertas da Humanidade, embora comparadas com o que hoje temos, nos pareçam de pouco valor. A observação da Natureza foi-lhes, dia-a-dia, aumentando o saber, depois aplicado em construções úteis.
...
...
...
O Saber é a Ciência; A Aplicação da Ciência é a Técnica
Descobrir, por exemplo, que uma pedra de grandes dimensões se desloca melhor quendo colocada sobre paus roliços do que directamente sobre o solo, e perceber a razão disso, é ciência; construir um carro em que se aproveite esse conhecimento, é tecnica.
...
À Descoberta do Mundo Físico - Rómulo de Carvalho (adaptado)
...
Este texto serve também como uma boa leitura para todos os que aqui passam, que não sejam alunos.

quinta-feira, setembro 14, 2006

quarta-feira, agosto 30, 2006

Manuais Escolares

Começa o ano lectivo e começam as despesas dos pais nos manuais escolares e outros materiais. Mas falemos dos manuais escolares, em particular do de Educação Tecnológica.
Como sabem a discipina de Educação Tecnológica, apesar de ter um cariz mais prático, não difere em muito das restantes disciplinas, sendo até a meu ver a mais abrangente, já que pode abarcar assuntos de todas ou quase todas as restantes disciplinas.
Como tal esta disciplina também tem um manual, cuja compra é obrigatória ou deveria ser...
Não se pense com isto que na disciplina de Educação Tecnológica se vai seguir o livro escrupulosamente como nas restantes disciplinas. Não, isso é errado. Em Educação Tecnológica o livro é somente um "guia" ou uma "bíblia" que serve para a pesquisa de informação sobre os mais variados assuntos abordados na disciplina.
Mas mesmo assim no caso de Educação Tecnológica o melhor é esperar pelas primeiras aulas e pelo veredicto dos professores a esse respeito.
Para auxilio deixo ficar os livros de Educação Tecnológica adoptados para a Escola EB2,3 de Alpendurada:
  • 7º Ano - Educação Tecnológica - 7.º/8.º/9.º Anos de Carlos Gomes, Armando Faleiro - Porto Editora
  • 8º Ano - Educação Tecnológica 7/8 Ano - Manual de Vários - Texto Editora (cuja compra n aconselho)
  • 9º Ano - n existe manual escolhido

De referir que estes manuais são para dois ou três anos lectivos pelo que a sua compra tem um periodo de utilização longo o que torna estes livros baratos em relação ás restantes disciplinas.

Para quem quiser conferir os diversos manuais adoptados pelas diferentes escolas, aconselho o site: Webboom.

domingo, julho 30, 2006

Barragens

Acho que sou Barragem Dependente. Por onde quer que passe se vir a indicação de uma barragem, não perco a oportunidade de a visitar. E já são muitas as que conheço, algumas delas formidáveis.
São obras de engenharia de grande envergadura, sendo que algumas delas foram premiadas internacionalmente... São obras que estão em locais de dificil acesso, por vezes, mas cuja descoberta vale sempre a pena.
Deixo aqui fotos de algumas daquelas que já conheço e onde já estive e onde tive a oportunidade de fotografar. São elas respectivamente: Lindoso, Carrapatelo, Torrão, Vilarinho das Furnas.
(fotos by Ghandy)

segunda-feira, julho 24, 2006

ET ou EV nos 9º anos

Deixo aqui indicação das turmas propostas para frequentar no 9º ano Educação Tecnológica. Como este blog é visitado por alguns alunos espero que uns passem palavra aos outros de forma a que quem tiver "mal" ou contra estas propostas possa reclamar junto da escola. E serve também este artigo para poderem deixar criticas/opiniões a respeito.
Então, a pedido do executivo da escola e segundo a análise minha e da minha colega de ET foram, segundo as opiniões demostradas ao longo deste ano lectivo, propostas as seguintes turmas para frequentar ET:
  • 8º B;
  • 8º C;
  • 8º D;
  • 8º E;
  • 8º F;

Em principio e se não houver nada contra estas ou algumas destas turmas irão ter Educação Tecnológica no 9º ano.

quarta-feira, julho 19, 2006

ET nos 9º anos

Pois é, nos 9º anos de escolaridade os alunos deveriam fazer uma opção entre Educação Tecnológica e Educação Visual. No entanto na escola onde lecciono pelo 2º ano consecutivo esqueceram-se disso.
O ano passado devido também á má experiência que os alunos passaram com um professor da escola (não era eu, atenção!, o ano passado não tinha 8º anos :)) optou-se por colocar todas as turmas do 9º ano a frequentar Educação Visual. Foi mau para mim , já que queria claramente ter 9º anos, mas por outro lado há mais trabalho, mas que se lixa-se - pagam-me é para trabalhar...
Eu ao ver a situação pensava que tinha sido opção da escola em ter preferencia por Ed. Visual, por causa da maior facilidade em arranjar docente e outras situações. Fiz juizos, que afinal não tinha fundamento, ou pelo menos não muito.
Este ano passou-se a mesma coisa, mas agora vieram falar comigo a perguntar se sabiamos quais serião as possiveis escolhas das turmas e eu e a minha colega Isabel, "queimamos" algumas turmas.
Não é bem queimar, é mais dar-lhes a oportunidade de frequentar ET, esta bela disciplina, muito interessante e com professores muito porreiros (tou a brincar...).
Assim como tinha este ano dois 8º anos e como notei que gostaram das aulas (um bocadinho) e da minha pessoa (muito...tou a brincar outra vez) fiz a escolha por eles e inseri-os a frequentar ET para o ano. Se fiz mal que me perdoem, mas não o fiz com intenção. Se não era essa a vossa escolha por favor entreguem reclamação por escrito em impresso próprio que ainda não está à venda mas lá para meados de 2007 já estará disponivel... agora a sério, sou bom de aturar e são só 90 minutos...:). Além destas turmas coloquei ainda outra que para mim deixou marcas e amizades profundas e que foi minha no 7º ano.
Falei também com minha colega Isabel e ela deu-me indicação de mais duas turmas que possivelmente estarião interessadas e foram também "queimadas"...
Ao todo forma propostas cinco turmas para frequentar ET para o ano. Não deixo aqui quais são para não me encherem o blog de criticas e insultos, mas se quiserem saber quais são digam qualquer coisa...
É bom ter 9º anos, dá para fazer mais coisas e para participar em mais actividades e de uma forma mais...como hei-de dizer...adulta, ou séria, ou coisa parecida...
Até para o ano 9º anos, estáis queimados comigo.....;)

quinta-feira, junho 29, 2006

Visita de Estudo - 9º anos

Participei, como acompanhante, hoje, numa visita de Estudo á escola Profissional do Rodo - Régua. Foi algo diferente, mas um pouco esquisito.
Ia com 80 alunos que praticamente não conhecia e onde foi dificil o convivio. Foi um bocado desmotivante para mim nesse aspecto. Não conhecia muito bem os alunos...alguns nem de vista...deu para meter conversa e conviver um pouco com alguns, outros já me conheciam e foi um pouco entrar num desconhecido, desbravar caminho...
O convivio entre professores e alunos, foi de facto minimo, tirando a organizadora que estava familiarizada com todos eles.
Foi diferente, não muito motivante, mas também o cansaço e a visita em si não o eram...
Foi diferente, foi um passeio agradável, a sitios agradáveis...

domingo, maio 28, 2006

10 Regras para criar filhos...Delinquentes


Por casualidade encontrei este artigo na net e vendo a situação actual de muitas crianças que vemos no nosso dia-a-dia achei interessante, actual e acima de tudo verdadeiro.
É mais indicado para pais de crianças lerem, mas porque não as crianças e jovens também o lerem e fazerem um exame de consciência....

domingo, maio 21, 2006

Exposição de Tecnológica

Terminadas as minhas visitas de estudo, as participações em outras visitas de estudo, resta-me agora somente uma actividade para cumprir a minha planificação para este ano lectivo.
Trata-se da Exposição de Educação Tecnológica, que pretende mostrar à comunidade escolar o que se fez na disciplina os longo do ano lectivo e mostrar alguns trabalhos que podem ser feitos nesta disciplina, algumas experiências, filmes e outras actividades que é melhor esperar para ver.
Pretendo com esta exposição dignificar a disciplina de Educação Tecnológica, que é tão maltratada e tão desprezada por muitos. Pretendo cativar alunos para a disciplina, mostrar que é uma disciplina interessante onde se podem fazer coisas com interesse e com significado para o seu percurso escolar.
Faço isto porque era das poucas disciplinas que não tinha exposição no final do ano, faço para cativar alunos para o 9º ano (já que este ano infelizmente estou arredado do contacto com estes alunos mais velhos e onde se podem fazer coisas interessantes) e porque é mais uma actividade que me cativa e está inserida no meu estágio.
É um trabalho que espero se reflita nos anos que se avizinham. Se permanecer na escola, trabalhei para mim, se sair ficará o trabalho para alguém continuar....
Acima de tudo quero mostrar que se trabalha nesta disciplina, que se faz algo de enriquecedor, com os poucos recursos e as pucas condições que se têm.
Quero cativar alunos não pela minha pessoa, mas pela disciplina que lecciono.
...

quarta-feira, maio 17, 2006

Visita de Estudo ao Torrão











As Visitas de Estudo ao Torrão que se realizaram a 16 e 17 de Maio decorreram sem incidentes. Apesar dos meus receios, a moçarada portou-se à altura, superando até as minhas expectativas. Estão de parabéns pelo seu comportamento.

Da minha parte estou feliz por tudo ter corrido bem e acima de tudo por os alunos terem gostado (pelo menos alguns)....
Fiquei triste pelos que faltaram, ou não quiseram ir à visita, já que foi uma visita enriquecedora e divertida e que poderá não se repetir (pelo menos organizada por mim).
Agradeço aos colegas professores que me acompanharam nesta empreitada, foram colegas que apesar de irem se cansar tiveram a disponibilidade de comparecerem neste evento. A eles o meu obrigado.
Em relação aos alunos notei muito cansaço, algum desalento, mas no final notei que tinham gostado e que estavam felizes. Cumpri o meu objectivo.
Foi a visita possivel, o local estava em obras, mas foi agradável.
Espero para o ano (esteja lá onde estiver) poder organizar uma visita de Estudo ao Alto Lindoso na Serra do Gerês. Essa sim seria uma grande visita, um grande feito. Este ano tentei ir lá, mas não consegui, pode ser que para o ano consiga.

quarta-feira, maio 10, 2006

Antevisão da Visita de Estudo ao Torrão



Pois é porque não aliar uma visita de estudo a uma caminhada.É isso que vai acontecer dia 16 e 17 em Alpendorada, quatro turmas do 7º ano e quatro turmas do 8º ano vão deslocar-se a pé á Barragem do Torrão. Esta é uma re-edição da visita do ano passado (essa somente para um 9º ano).
As deste ano são para cerca de 80 alunos cada. Torna a situação mais dificil de controlar, mais perigosa, mas confio que a moçarada se porte bem. Não é fácil, mas pode ser que seja um dia em que tenham juizo na cabecinha. A acompanhar vão cerca de 5/6 professores, a confirmar pelo executivo da escola que controlarão a situação.
Esta visita serve um pouco (ou talvez não), como despedida da escola e dos meus alunos...Para isso vão a esta visita os meus alunos, dos dois anos que passei na escola...Será um pequeno momento para recordar, espero...e para os recordar. Espero que eles gostem e que corra tudo pelo melhor....

terça-feira, abril 11, 2006

Candeeiro de Luz de Presença

Mais um projecto a se desenvolver, ou pelo menos a fase de planeamento...já que o tempo é curto e o trabalho algum.
Trata-se de um candeeiro de luz de presença, com alguma utilidade para quem tem crianças pequenas e com medo do escuro. Mais uma vez tenta-se na medida do possivel reutilizar materiais, neste caso latas de refrigerantes.
Com duas latas de refrigerante, uma ficha macho, uma pêra, um casquilho, uma lâmpada de 13 W um pedaço de fio condutor flexivel e ainda um pedaço de tubo roscado se faz um candeeiro.
Um pouco arcaico e talvez feio, mas que cumpre mais uma vez a finalidade pretendida, que é dinamizar conteúdos da disciplina de Educação Tecnológica.
A ver vamos os projectos que se seguem...

domingo, abril 09, 2006

Actividades que se avizinham

Pois é, vai ser um 3º Periodo sempre a dar-lhe...
Prevejo uma ou duas visitas de estudo no meu caminho e ainda uma exposição da disciplina.
Se ainda houver tempo e ajuda havera ainda um Peddy-Paper...
As visitas de estudo, mais uma vez, e porque não, serão á Barragem do Torrão...tão perto da nossa escola. Que proporcionaram mais uma vez uma caminhada a alunos e professores. Porque caminhar faz bem e é aconselhado pelos médicos. :)
Quando á exposição, espero que seja o que antevejo, uma coisa em grande ou quase grande. Algo não só para expôr trabalhos, mas para propagandear a disciplina de Educação Tecnológica...
...
Quanto ao Peddy-Paper ainda é cedo para falar, ou sequer saber se vai ou não acontecer...eu gostaria, mas a ver vamos....

segunda-feira, abril 03, 2006

Powerline


POWERLINE é um novo sistema de distribuição de Internet e telefone digital, através da rede eléctrica. Em Portugal a ONI está a desenvolver este sistema em algumas zonas de Lisboa, mas ainda em fase experimental.
O POWERLINE funciona da seguinte maneira: nos postos de transformação da EDP são instalados os servidores de Internet e telefone digital, estes servidores transmitem o sinal em altas frequências (HF) com potência suficiente para percorrer a rede eléctrica até chegar às casas dos consumidores. Nas casas dos consumidores são instalados modems próprios para POWERLINE, estes modems são ligados a uma tomada de electricidade para emitirem também para a rede da EDP sinais de altas frequências (HF) com potência suficiente para conseguirem chegar aos servidores instalados no postos de transformação da EDP. Portanto os sinais de POWERLINE passam a circular pelos cabos da EDP, cabos esses que não têm qualquer blindagem (não são cabos coaxiais), então os sinais de alta frequência saem dos cabos e são irradiados para o ar passando a estar presentes em toda a parte. Estes sinais são em altas frequências em banda larga, entre os 8000 KHz e os 30000 KHz. Diz-se que os cabos eléctricos que transportam electricidade a 50 Hz já fazem mal à nossa saúde, há quem proteste por ter as suas casas debaixo de cabos de alta tensão que mais uma vez chamo à vossa atenção, são cabos que transportam 50 Hz, agora imaginem com o POWERLINE passam a circular altas frequências de 8000 KHz aos 30000 KHz por toda a parte, porque estas frequências por serem muito elevadas saem dos cabos e vão para o ar atingindo-nos a todos nós !!! Este sistema é altamente perigoso para os humanos, assim como para todos os outros animais, ou seja este sistema provoca o CÂNCRO. A leucemia tornar-se-á uma doença muito comum em grande parte da população das grandes cidades onde o POWERLINE estará em funcionamento !
Mas não ficamos por aqui, além de ser muitíssimo perigoso para a nossa saúde, também trará muitos outros problemas, como interferências nas nossas televisões, mesmo para quem tem TV Cabo, interferências enormes nos nossos receptores de rádio, telefones, intercomunicadores, walkie-talkies, etc... Estas interferências poderão mesmo acabar com a escuta de rádio por completo.
Para os cibernautas: não queiram a Internet por este sistema, além de ter todas as desvantagens que já mencionei, é um serviço de Internet péssimo, cheio de falhas e muito instável, devido às muitas interferências que circulam por toda a rede eléctrica, interferências de electrodomésticos,
lâmpadas fluorescentes, todo o tipo de motores, fábricas, etc...
Se querem Internet com qualidade, usem os serviços de ADSL que são os melhores em todos os aspectos.
O POWERLINE foi proibido na Alemanha, Itália, Japão e outros países.
Perante tal ameaça, vamos ficar de braços cruzados à espera que a ONI e EDP, com o consentimento da ANACOM, avancem com este projecto monstruoso e absurdo, para que a ONI e a EDP enriqueçam ainda mais à custa da nossa desgraça ?
NÃO, TEMOS QUE PROTESTAR ! Mandem e-mails para a ANACOM, para o governo, para a assembleia da república, etc...
E NÃO QUEIRAM O POWERLINE NAS VOSSAS CASAS. DIGA NÃO AO POWERLINE !
in "Eng. Augusto Albuquerque "
Divulguem este texto o mais possível.

segunda-feira, março 20, 2006

Concursos de Docentes

Concursos
Competição entre docentes
Classificação dos mesmos
Busca por um lugar
Busca por um emprego
profissão, tacho...sei lá
altura de stress (pelo menos para alguns...)
altura de correrias
de tomada de decisões
altura de escolher
escolher a maneira de ser escolhido
ou não ser escolhido, mas sim recolhido
repiscado, dum plantel extenso
e cheio de craques e "azelhas"
A maioria dos craques é convocada e escolhida
alguns ficam de fora (infelizmente)
alguns azelha toma-lhes o lugar
e a equipa fica desfalcada...
esse desfalque penaliza a equipa
e a equipa perde e o público também
perdendo a sociedade
e o País....
São assim os concursos....
stressantes, viciados, burocratizados
dificultados e quem sabe estupidamente estúpidos....

domingo, fevereiro 05, 2006

"Detector de Nervosismo"

Este ano como projecto de trabalho irei realizar nas minhas aulas um "Detector de Nervosismo". Projecto muito simples mas que mobiliza um conjunto grande de saberes que fazem parte do curriculo da disciplina. Com este projecto pretendo mobilizar saberes da área da Electricidade - circuito eléctrico; dos Materiais - uso de diferentes tipos de materiais; Higiene e Segurança no Trabalho - realizar o trabalho em segurança; Desenho - realização de esboços e desenhos rigorosos do projecto a realizar.
Depois tem-se como produto final um jogo ou brinquedo que terá a sua utilidade, mas que teve a utilidade de ser um meio para atingir um fim.
Se pudermos utilizar a prática como fonte de conhecimento porque não fazê-lo. É muito mais agradável e motivador para os alunos.
A imagem serve de possivel modelo, podendo com um pouco de criatividade se criarem trabalhos muito mais complexos e muito melhores.